Deus se move na paixão e repousa na razão | Mensagem diária 03/mar

Os vícios me davam um prazer imediato. Além do uso, também havia o cenário. Eu percebia a destruição que era o combustível que alimentava também outro prazer. O prazer secreto e quase inconsciente de manipular os outros e me enganar com justificativas aceitáveis.

Se eu bebia ou me drogava, podia sentir prazer em manter pessoas que se importavam comigo à distância e assim castigá-las por terem me magoado. Se eu assumia o controle do vício de outro, podia usar a culpa, vergonha e medo do outro para tortura-lo. De qualquer forma, os vícios carregam uma crença falsa que temos um poder que só Deus tem. Mas foi fácil me perdoar quando me dei conta de que tudo o que eu fazia era por não saber fazer diferente. Era tudo o que eu conhecia. Me achava mau, mas racionalizava acreditando que só estava me defendendo, ou sobrevivendo ou só vivendo mesmo e a vida era assim, cheia de problemas, tensões, brigas, e até tragédias. Quando comecei a fazer meus inventários e honestamente tentar encontrar minha participação nos problemas da minha vida, eu estava muito assustado e confuso. Comecei a identificar meus instintos e minhas paixões e me assustava olhar pela primeira vez para minha imagem, quem era eu na verdade? Tão cheio de instintos primitivos e paixões cegas! Outras vezes vinham minhas virtudes e eu pendia para o outro extremo me achando a pessoa mais sábia e injustiçada do universo.

Então foi necessário voltar ao Passo 3 e entregar minha vida e minha vontade. Dar uma pausa e permitir que Deus me ajudasse com meu inventário. Não deveria ser uma guerra entre a paixão e a razão. Deveria ser um instrumento para que eu pudesse enxergar a diferença entre o que eu devia mudar; daquilo que eu devia aceitar em mim mesmo. E encontrar prazeres sadios e construtivos. E foi somente com a ajuda de Deus que consegui perceber que minha razão é como o leme de um barco, e meus instintos são suas velas. Não é possível viver sem ter meus instintos satisfeitos. Mas tenho a razão para dar uma direção sadia para minhas paixões. Sem o juízo, já experimentei a destruição de viver consumido pela paixão solta. Mas sem paixão a vida perderia seu movimento. Em Deus, com entrega total, encontrei meu equilíbrio.

Meditação para o dia:

Porque Deus se move na paixão e repousa na razão.

Narração – Christian Simon
Edição – Antônio Leal
Produção – Marta Lima

© Videobes 2017

Na Categoria Meditações
Assista Também

Deixe seu comentário

Facebook
Twitter