Não compreendia porque não podia fazer só coisas divertidas | Mensagem diária 06/ago

Desde criança eu sempre quis ser adulto. Queria ser adulto pra mandar no meu próprio nariz. Queria ser adulto, mas não queria trabalhar. Detestava ter que perder horas da minha vida em coisas que eu não tinha interesse ou servindo a alguém.

Um amigo meu acreditava que seus pais iriam sustentá-lo para sempre e no fim da vida iriam deixar um manual com um monte de dinheiro para que ele pudesse sobreviver na falta deles. Ou ele pensava que podia ter filhos e os filhos poderiam sustentá-lo quando adultos. Uma coisa era certa, meu amigo jamais cogitava sequer em se sustentar com seu próprio trabalho ou talento.

Talvez os pais tenham errado e quisessem manter o filho imaturo para terem a ilusão que poderiam protegê-lo para o resto da vida. A situação de imaturidade de meu amigo fez com que eu compreendesse que era necessário viver com os próprios recursos. Ao me sustentar eu podia fazer minhas próprias escolhas então valia a pena trabalhar.

Mas passei anos arrastando essas correntes, odiava ter que servir as pessoas. Os anos se passaram e entre as muitas coisas que tinha que gerenciar em minha recuperação, sempre encontrava colegas de trabalho em minha lista, sempre tendo que fazer reparações de novo e de novo com pessoas do trabalho, superiores ou subordinados eu arrumava encrenca com todo mundo.

Sempre julgando as pessoas em meus piores devaneios eu não percebia que minha imaturidade em relação a servir a outros me trazia todo o tipo de problema de relacionamentos. Eu não compreendia porque a vida me negava poder fazer só coisas divertidas. Não percebia que eu podia mudar minha perspectiva e me esforçar um pouco no sentido de encontrar bons motivos pra servir os outros.

Comecei a cultivar o pensamento de ter meu próprio negócio e me fiz a pergunta: que tipo de pessoas eu gostaria de ter trabalhando pra mim? Assim consegui amadurecer e sentir um grande prazer em servir os outros. Eu não percebia o quanto sou servida pelos outros, em diversos níveis e graus. Meu relacionamento com os indivíduos no trabalho melhorou muito e hoje quando coloco alguém do trabalho na minha lista, a pessoa logo sai.

Hoje é fácil reconhecer como eu me dirijo às pessoas e é fácil fazer reparações porque estou zangada não com as pessoas, mas com minha falta de maturidade em aceitar responsabilidades.

Meditação para o dia:

Faça sua lista. Peça ajuda a Deus.

Narração – Christian Simon
Edição – Anderson Cavalcante
Produção – Marta Lima

© Videobes 2016

Na Categoria Meditações
Assista Também

Deixe seu comentário

Facebook
Twitter