Não há leis ou sanções @ 9ª Tradição @ Meditações

Parece que estamos descobrindo que exterminar a quem não gostamos pode levar a todos nós ao extermínio.

Todos nós, sobreviventes a grandes sofrimentos pela doença, fomos capazes de encontrar um grande amor restaurador. Por isso a Tradição 9 sugere que não precisamos de outros disciplinadores. Podemos eleger comitês que vão administrar nossos serviços e manter nossa estrutura eficiente. Eles não governam a irmandade com autoridade de patrões. Eles cumprem as tarefas com espírito de servir. O rodízio é que permite que todos sirvam nas diferentes funções e acabamos compreendendo que não há serviço nos grupos que tenha mais ou menos prestígio, todos são essenciais. Com o rodízio conseguimos eliminar o grande vilão das outras associações: disputa por dinheiro; poder ou prestígio. Todo o serviço nos grupos requer uma dose de humildade para fazer o bem sem necessitar aplauso. A necessidade de aplauso para quem vivia de algum vício para se anestesiar é muito difícil de ser removida dos egos inchados. Mas o rodízio nos confere essa humildade porque depois de termos passado por vários diferentes tipos de serviços; percebemos o quanto precisamos de todos eles; e precisamos de todos os servidores de boa vontade.

Muitos grupos e companheiros tentam exercer domínio sobre os outros ao fazerem queixas e reclamações para os organismos de serviços das áreas ou dos escritórios centrais ou até dos escritórios mundiais, acreditando que quanto maior o alcance para transmitir as decisões coletivas mais poder esses escritórios deveriam ter. Esses companheiros não poderiam estar mais equivocados porque o Conceito 1 deixa claro que a autoridade final sempre será dos grupos. Todos os escritórios respondem a esses companheiros confusos que não há leis nos grupos de 12 passos e normalmente respondem com:

”não há leis ou sanções… mas, nossa experiência sugere que…” e seguem a explicação com alguma tradição ou conceito.

O rodízio também impede que alguém monopolize uma tarefa e dessa forma comecem a surgir donos de grupos.

Mas o que a Tradição 9 trouxe de melhor para minha recuperação foi a compreensão da prática de perdoar. Saber que estamos entre humanos e que humanos cometem erros. Vemos os erros acontecendo e as tradições sendo ignoradas. Se um grupo não conseguir perdoar, certamente vai se desintegrar. Não funcionamos como uma organização empresarial onde é possível demitir os incompatíveis, os preguiçosos ou inoperantes. Nos grupos não há como demitir um servidor, podemos até substituir um servidor que se acha no direito de se comportar como tirano, mas ele continuará nosso companheiro de grupo e se não houver perdão; todos nós pereceremos. Se concedermos nosso perdão somente a quem merece certamente não seremos dignos de que perdoem nossas próprias falhas.

Meditação para o dia
E quem de nós que nunca pecou, que atire a primeira pedra.

Daniela Ribeiro veste Casual Street (www.casualstreet.com.br).

Intérprete – Daniela Ribeiro
Direção – Christian Simon
Edição – Vinicius Vasconcelos
Produção – Marta Lima

© Videobes 2018

Na Categoria Meditações
Assista Também

Deixe seu comentário

Facebook
Twitter