Natal, como o dia se transformava em pesadelo | Mensagem diária 25/dez

Minhas lembranças de infância do natal; são muito misturadas. Existem aquelas lindas que acordava cedo com minha mãe e irmãos, e nos reuníamos em volta da mesa de café da manhã alegres e em êxtase para sairmos todos juntos pra comprar a árvore e passar o dia todo decorando. Havia também o frenesi de muita comida sendo preparada; e muitos presentes a serem abertos quando chegasse a noite. Então depois de um longo banho colocávamos nossa melhor roupa e os convidados já começavam a chegar. Depois de algumas horas consumindo bebidas e outras substâncias que crianças desconhecem, o cenário começava a mudar e se tornava sombrio com acusações, brigas, violência. Começava com violência verbal, mas sempre acabava em violência física. No dia seguinte, o tradicional almoço do dia 25, só restava a vergonha e a ressaca da noite anterior, que eram tão devastadoras que conseguiam destruir a alegria do presente mais ambicionado durante o ano todo. E o silêncio da vergonha imperava por várias semanas. Todo o ano eu rezava pra que fosse diferente; mas aquilo nunca mudava.
Quando comecei a frequentar as reuniões tinha muita resistência em falar com honestidade o quanto me sentia inadequado e uma aberração. Ficava até chocado com a honestidade dos companheiros em compartilhar seus podres que eu tinha sido ensinado a esconder a qualquer custo. Continuei indo as reuniões o suficiente para perceber que estava num lugar cheio de aberrações e de repente não me sentia mais envergonhado de ser uma aberração. De repente, vir de uma família disfuncional passou a ser cômico ao invés de trágico e embaraçoso.
Me livrei do fardo da vergonha; do fardo do medo e do fardo da culpa.

Meditação para o dia
A amizade me faz relaxar e minhas orações flutuam até Deus e sou curado.

Narração – Christian Simon
Edição – Tuco Silva
Produção – Marta Lima

© Videobes 2016

Na Categoria Meditações
Assista Também

Deixe seu comentário

Facebook
Twitter