Preciso de muito menos do que acreditava | Mensagem diária 10/fev

Finalmente consegui.

Consegui ter independência financeira. Sustentar a mim mesmo e minhas necessidades básicas. Não me tornei nenhuma celebridade ou milionário como ansiava em minha juventude de delirante reconhecimento. Mas sustento minha existência com relativo conforto e bem estar. Sou capaz de preencher minhas necessidades e realizar alguns antigos sonhos. Que eram MEUS sonhos e meus desejos antes de começar a fazer minha vida girar em função de agradar aos outros.

Ao longo da minha recuperação foi muito difícil dispensar o que os outros queriam que eu fosse ou fizesse e assumir minha verdadeira identidade. Minhas reais necessidades de expressão humana e espiritual. Em meio a uma guerra de críticas; manipulações e acusações; eu sobrevivi e consegui manter meus propósitos de uma vida de paz em primeiro lugar. Fui dispensando um a um de meus cobradores e vampiros emocionais. Fui fazendo minha cerca e hoje me sinto seguro; imune aos dramas dos outros.

Os ressentimentos começaram a desaparecer. A raiva e o ódio que eu sentia de tudo e de todos perdeu sua utilidade. E me reconciliei com o mundo material.
Estranhamente, preciso de muito menos do que acreditava para uma vida material segura. Porque hoje minha vida está equilibrada entre as necessidades materiais e espirituais. Cuido bem de minha saúde. E se me criticam; primeiro eu avalio minhas escolhas.
Posso sentir vergonha e sucumbir à manipulação das acusações, ou posso meditar e encontrar em Deus a clareza necessária para perceber as manobras.

Adulto que sou posso reparar qualquer erro que eu tenha cometido sem precisar engordar o ego de quem me acusa. Ou posso simplesmente descartar esse assopro de acusação como o vento que varre o assopro. Se me atacam apenas para obter vantagem de mim, hoje posso enxergar que estão chovendo no molhado. E secretamente até rir disso.

Tudo isso consegui praticando os 12 passos. E comecei com o Passo 2: acreditando na restauração de minha sanidade.

Meditação para o dia:
Agora que alcancei o promontório da minha maturidade, o céu é o limite! Sigo sadio, sigo imune em direção ao progresso e não à perfeição.

Narração – Christian Simon
Edição – Antônio Leal
Produção – Marta Lima

© Videobes 2017

Na Categoria Meditações
Assista Também

Deixe seu comentário

Facebook
Twitter