Saindo do meu egocentrismo, vi que todos tem suas dores | Mensagem diária 17/jul

Nas reuniões comecei a ouvir as histórias dos outros e minha percepção começou a se ampliar. Eu vivia no meu pequeno mundo sentindo pena de mim mesmo e sequer me passava pela mente que outras pessoas também tivessem experiências amargas.
Muitas vezes nas reuniões eu achava que estava num concurso de desgraças, tal era o clima de horrores. Algumas vezes eu pensava:
“Bom, não é pra menos que essa pessoa estivesse bebendo e se drogando até morrer…”
Saindo um pouco de meu egocentrismo, comecei a perceber que todas as pessoas tinham vivenciado acontecimentos dolorosos. Mas isso não foi o que me chocou. O que realmente me deixou intrigado era a forma como cada um estava expondo seu passado. Uns pareciam acabados e consumidos pela dor e culpa. Porém outros contavam coisas horripilantes pelas quais haviam passado e se mostravam serenos, tranqüilos, como se aquilo nem tivesse acontecido a eles.
Era assim que eu queria me sentir.
Não conseguia tirar os fatos da minha mente, mas me disseram que eu podia me reconciliar e me curar da dor da lembrança.
Sétimo passo: bastava que eu rogasse a Deus para que ele removesse toda auto piedade, todo o auto martírio, masoquismo e autoflagelação, toda culpa, remorso, ódio, ressentimento, parecia uma tarefa gigantesca – mesmo para Nosso Senhor…
O passo dois dos 12 passos, me ajudou. Fé inabalável que Deus pode e quer remover meus defeitos mais antigos e mais justificados.
Meditação para o dia
Humildemente, peça a Deus que remova seus defeitos. Viva livre de qualquer peso.

Narração – Christian Simon
Edição – Anderson Cavalcante
Produção – Marta Lima

© Videobes 2016

Na Categoria Meditações
Assista Também

Deixe seu comentário

Facebook
Twitter