Tudo o que preciso é mente aberta, e boa vontade | 17/fev

Foi muito demorado e difícil encontrar motivação para prestar ajuda. Rezar pelos outros; nem pensar. Achava que Deus já se encontrava assoberbado com minhas preces pra mim mesmo e todos os meus dramas, que me consumiam por inteiro. Mas, gostava muito de uma história que ouvia repetidamente nas reuniões sobre ajudar.

Conta a história; que um homem passeava pela praia e viu outro pegando estrelas do mar e jogando de volta para que elas tivessem uma chance de viver. Revoltado com aquela perda de tempo porque o outro jamais conseguiria salvar todas elas, o homem perguntou ao outro: “mas você não se dá conta que seu trabalho não vai fazer a mínima diferença na salvação dessas estrelas do mar? E por que isso importa pra você?” O outro parou e segurando a estrela com carinho, pensou por uns instantes, e jogou-a de volta ao mar o mais longe que pôde e respondeu: “Na verdade para mim importa pouco, mas para aquela ali, vai fazer toda a diferença”.

Gosto dessa história porque ela me diz que não sou responsável pela recuperação de quem quer que seja, mas na maioria das vezes um pequeno ato de ajuda desprendida pode fazer uma gigantesca diferença na recuperação de alguém. Tudo o que preciso é mente aberta, e boa vontade. Se eu estiver atento ao fato de que ajudar não é controlar, posso fazer algo pequeno, bom e valoroso sem que isso me custe nada. Ou pode custar um pouquinho de tempo e de mim mesmo; de que disponho para tal.
Quando sou capaz de oferecer ajuda, minha crença na solução de meus próprios conflitos se fortalece. Começo a perceber que é possível obter ajuda das origens mais inexplicáveis e inusitadas. E minha vida segue dentro da corrente do bem.

Sigo tentando superar meus próprios temores e desafios, e toda vez que posso prestar ajuda, consigo dar um salto de fé na superação de meus problemas. Sinto que minhas crenças e pontos de vista mudam cada vez para elevado maior, e cresce minha segurança e confiança em Deus.

Meditação para o dia:

Só por hoje vou oferecer ajuda para alguém que precisa. Algo pequeno e modesto, nem que seja apenas uma prece sincera pela cura da dor daquela pessoa.

Narração – Christian Simon
Edição – Antônio Leal
Produção – Marta Lima

© Videobes 2017

Na Categoria Meditações
Assista Também

Deixe seu comentário

Facebook
Twitter